quarta-feira, 7 de agosto de 2013

O teatro da peste e a Mídia Ninja


Bruno Torturra e Pablo Capilé

O teatro da peste,  de Antonin Artaud,  trouxe possibilidades radicais na montagem de espetáculos teatrais, visando aproximar a platéia das "pestes" reais. A Mídia Ninja, com seu jeito novo de fazer jornalismo, estreitou os espaços entre a notícia e os seus receptores. Com ela a informação virou teatro, virulento espetáculo cujas consequencias ainda são imprevisíveis. O fato é que os tradicionais meios de comunicação estão aturdidos, sem saber que rumo tomar. Num mundo com excesso de informações pré-fabricadas, cozinhadas ao prazer da mídia dominante, o surgimento da notícia crua e sem maquiagem é um sopro de vitalidade, espécie de tsunami sacudindo as redações de jornais, revistas e emissoras de televisão. A Mídia Ninja, resultado das manifestações de rua que abalaram o Brasil recentemente, quase nocauteando o governo da presidenta Dilma Rousseff, virou notícia. O jornalista Bruno Torturra e o produtor cultural Pablo Capilé, idealizadores do grupo, foram entrevistados no programa Roda Viva, da TV Cultura. Veja a entrevista. (M.M.) 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O seu comentário é importante para nós.